Como escolher o melhor guincho elétrico para quadriciclo?

Quem anda de quadriciclo certamente irá se deparar com a necessidade de rebocar o veículo em algum momento. Felizmente, essa tarefa não é mais tão difícil, graças a um excelente acessório que todo veículo desse tipo deveria ter: o guincho elétrico. Por isso, é preciso escolher o modelo ideal.

Por que usar o guincho elétrico?

O guincho elétrico é fundamental para rebocar veículos. Ele é importante porque quem anda de quadriciclo em terrenos um pouco mais desafiadores inevitavelmente terá de lidar com esse desafio.

A opção elétrica é a mais vantajosa, já que usa um motor movido a eletricidade para puxar o cabo de aço ao invés da opção manual que é usada nos guinchos mais tradicionais. Mas, para que ele funcione de maneira ideal, é preciso saber muito bem como escolhê-lo.

Como escolher o melhor guincho elétrico para quadriciclo?

O guincho ideal para o seu quadriciclo depende de alguns fatores.

O primeiro, e mais importante deles, é o peso do seu veículo. Isso é fundamental para determinar a quantidade de energia que o motor elétrico precisa gerar para poder tirá-lo de um possível atoleiro. Para quem não conhece o peso do veículo, no manual de instruções consta essa informação.

Enquanto essa informação é fácil de achar, encontrar a capacidade exata do guincho não é. Isso porque existem diversos fatores que entram nessa conta. De maneira simples, o que deve ser feito é multiplicar o conjunto do peso do veículo mais o condutor por 3 e convertê-los para libras.

Porém, fatores como o atoleiro podem até mesmo dobrar a potência necessária. Para se sentir mais seguro, existe uma pequena tabela de conversão:

  • 1.500 libras – Para qualquer quadriciclo esportivo abaixo de 300 cc.
  • 2.500 lbs – Para 300 cc. até 500 cc.
  • 3.000 lbs – De 500 cc. para cima.
  • 4.000 lbs – Projetado especificamente para UTVs e Side by Side mais pesados.

Enquanto o peso é um dos principais fatores, existem outros que também devem ser considerados.

Os outros fatores

Um deles são os cabos que podem ser usados pelo guincho. As opções mais comuns são os de aço e de corda sintética. Cada um tem suas vantagens e desvantagens.

Os cabos de aço, naturalmente, suportam muito mais peso e mais força, e têm uma resistência muito maior a atritos; portanto, são mais recomendados para situações potencialmente extremas.

Já a corda sintética não tem a mesma potência e é mais leve e segura, já que não irá ficar com “farpas” como ocorre com o de aço. Ela também não conduz eletricidade nem enferruja. Esse aspecto mais prático e de menor potência a torna ideal para passeios em trilhas mais leves, por exemplo.

Outro ponto importante é o suporte do guincho. Esse irá ser usado para fixar o guincho no chassi, e ele deve ser escolhido com cuidado. É preciso ficar atento para que ele não coloque muita força no próprio veículo, o que pode danificá-lo.

Por fim, é importante equilibrar todos esses fatores com o sistema elétrico disponível. A bateria precisa ter potência suficiente para lidar com a tarefa. Quadriciclos novos podem lidar com isso sem muitos problemas, mas veículos que já encararam muitos passeios podem ter a bateria um pouco mais fraca.

A escolha do guincho é fundamental para poder lidar com um problema que inevitavelmente irá aparecer. Por isso, confira no site da Quadriciclo Brasil os melhores guinchos elétricos e os suportes para eles e garanta que o passeio ocorrerá sem problemas. 

Deixe uma resposta